Você é feliz onde vive?

Já morei em alguns lugares que não gostei, cidades que não eram simpáticas e casas nem um pouco agradáveis, coisas da vida. Hoje moro em um bairro delicioso, que adooro de paixão e onde tenho também tudo pertinho (supermercado, farmácia,cinema,bancos…e até a minha loja preferida de sapatos), faço tudo na base da caminhada,rs. Ainda não é o lugar que quero viver pra sempre mas sou muito feliz por essas bandas.

Moro em um ap alugado mas aqui não tem essa de não fazer nada porque não é próprio. Não encaramos reformas, obviamente, mas tentamos deixar o mais nossa cara possível, e apesar de adorar decoração, ter um marido que trabalha também com isso e ainda o Estúdio Cereja em minha vida, minha casa não tem quase nenhum quadro na parede, veja só. Com o corre corre a gente acaba nem ligando muito pra decorar aqui e ali e prioriza outras coisas bem importantes que fazem desse nosso espaço um lar.

E não é isso que importa??

O lugar onde vivemos vai muito além dos objetos de decoração e móveis. São as emoções do dia a dia, o filho que vemos crescer ali no meio da sala, os amigos que recebemos para uma pizza (com ice,rs) e a sala que vira cinema vez ou outra. Somente estando em nossa casa, sentimos uma satisfação plena e um aconchego verdadeiro, por isso que é tão bom chegar de viagem, voltar para o ninho.

Sim, passamos por épocas difíceis, moramos mal de vez em quando (mal no sentindo de não nos sentirmos a vontade) e podemos até odiar a nossa casa em algum momento da vida, mas a gente acaba dobrando uma esquina e encontrando o nosso canto, isso é fato.

E mais…Não importa se o color bloking também é tendência na decoração, o que vale mesmo são as nossas pernas levantadas no sofá. Oi?

Parei pra escrever tudo isso, depois que esbarrei no blog de um livro que será lançado (acho que ainda não foi) lá na Europa. Eles mostram o making of das visitas que fizeram em 25 casas em Frankfurt, o estilo de vida das pessoas e os mais variados gostos para decorar. E o mais bacana?Ressaltam toda essa historia da essência de cada lar.

É inspirador, bonito e me fez um bem danado olhar essas fotos. Procurei livros no mesmo estilo aqui do Brasil, encontrei alguns e quero fazer um post depois sobre o assunto.

Abraço apertado =)


COMPARTILHE
Ana Medeiros
É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.
Faça seu comentário

24 Comentários

  1. Quase não acreditei quando lí seu post! Falei sobre esse assunto em meu blog ontem!!! Sobre ser feliz, reformas, meu sítio, saudades da minha outra casa…
    Adorei!
    Se voce quiser dar uma olhadinha no meu lar, espie meu humilde bloguinho!
    Beijos

  2. Eu quero esse novo post logo! Acho que o mais legal da decoração é ela ser a cara de quem mora no lugar. Não adianta aqueles lugares equipados com móveis e decorações de experts com a cara de ninguém, sem o toque especial e pessoal do dono da casa. Gosto muito do lugar em que moro. ADORO! Faço tudo a pé que nem você. Isso é um alívio em tempos de mais carro do que gente no mundo (um pouco de exagero, mas… está quase lá! rs rs). O nosso ap é muito pequeno. Alugado. Estamos procurando um para comprar, mas aqui em Brasília imóvel é muito, muito caro! Então, vamos juntando uma $ até ver onde isso vai dar. O fato é que gostamos do nosso ap. É nosso lar.
    Beijo

  3. Aninha, eu não poderia ter me identificado mais com esse post…
    Assim como você também moro de aluguel. A diferença é que o marido não se empolga muito, justamente por esse fato “não é nossa”. Então eu fui fazendo as coisas do meu jeito. Colocando na casa coisas não que só a deixassem bonitinha, mas que fizessem parte da minha vida, que quem entrasse aqui entendesse de alguma forma o que sou. Minhas fotos, meus trabalhos, meu material… fica tudo a mostra mesmo, é mais prático para mim e não tenho mais vergonha de não ser “decorativo”. Aos poucos vou fazendo outras coisas, e assim vai… de uma forma ou outra, sendo minh ou não, um dia vou lembrar: “foi naquela casa que tive x momento…” Não é mesmo?
    Aqui ainda não é a localização dos meus sonhos (ainda dependo do carro para sair), mas é bem próximo do centro, o que já é bom.
    Adorei o post, adorei as fotos.
    Um beijo!

  4. Ana,
    adorei ler o post de hoje, porque é uma coisa que fala aos quatro ventos: o quanto adooooro minha casa.
    Morei por 15 anos e meio em cima da casa da minha sogra e não me identifiquei com o lugar nem um só dia…e nem tenho saudades de lá.
    Hoje, moro a 7 anos na minha casa própria, onde já fiz algumas reformas e construí o segundo andar…não tenho palavras que expressem o meu amor por essa casa…meu lar… onde vivo a vontade e sem medo de ser feliz…
    Beijo:)
    Janice

  5. Oi, Ana!
    Que coisa gostosa ler esse texto! E as imagens são lindas tb!
    Vc é uma mulher como poucas, sabe valorizar as coisas, as pessoas, os lugares. Sem saber, transforma a vida de muita gente! Que Deus te abençoe com uma vida longa, com filhos e netos e amor, muito amor, porque o restante é consequência!
    Um xerão bem pernambucano!

  6. Que delícia!!! Adorei as fotos, realmente inspirador!

    O que transforma a casa em lar, é o fato de você entrar nela e dizer… me sinto muito bem aqui! Que ela tenha algo que mostre que é você que mora lá….

    Obrigada por compartilhar conosco!
    beijão

  7. Ana! Tudo bom?! Alegria define quando vejo no meu reader que vc atualizou, adoro ler seu bloguito! 😀
    sou de Natal e estou me mudando próximo mês aí pro Rio, por enquanto vou morar na Ilha com minha familia e tal, mas em seguida vou procurar algo com meu noivo e fiquei super curiosa de saber que bairro delicioso é esse que você vive, pode me dá uma dica? 🙂
    Beijocas lindona, tudo de bom! 😀

  8. Oi ANA,a minha casa não é alugada,é um pouco pequena e sem quintal, porem amoooo!! tudo aqui, o fato é que compramos um terreno e vamos construir uma casa maior, com quintal e quartos separados para as crianças(os dois dormem no mesmo quarto),mas tem dias que me pergunto se é realmente o que quero, pois são 11 anos morando aqui , e todos esses anos foram de extrema felicidade. bjos….
    (meu blog é novo se quiser me fazer uma visita,será bem vinda o blog é http://mulhersuper.blospot.com)

  9. Oi! ler este post mexeu muito comigo, qndo nasci em 1973 na ciadade de S. Sebstião – Rio, vim para casa da minha vó, aos 2 anos minha família se mudou para Minas, Juiz de Fora, minhas férias eram na casa de minha vó, em 1980 meu pai faleceu e vim morar na casa da minha vó, em 2008 finalmente eu e minha mãe compramos o imóvel, que minha mãe herdou com mais 5 irmãos, compramos a parte deles, por mais que mexesse no ap, tinha cara da minha vó…rs. Praticamente vivi no mesmo lugar por toda uma vida, aqui nestas paredes tenho miutas histórias; mas hoje estou pintando este ap. pois estou vendendo ,acho que é hora de ser feliz em outro lugar.
    Bjs e adoro seu blog. Ah as fotos também mexeram comigo, pois já esta aflorando meu futuro ap. e também tenho um gato como da foto, uma azul da rússia, o nome dela é Frida.

  10. Oi Ana,
    Esse post me lembrou um email que recebi mostrando as diferenças entre casa e lar;segue um trecho…
    Casa é uma contrução de cimento e tijolos ;lar é uma construção de valores e princípios.
    Casa é nosso abrigo das chuvas,calor e frio;lar é o abrigo do medo,da dor e da solidão.
    Casa é o lugar onde as pessoas entram p dormir,usar o banheiro e comer,onde temos pressa pra sair e retardamos a hora de voltar;lar é o lugar onde os membros da familia anseiam por estar nele,onde refazem suas energias,alimentam-se de afeto e encontram o conforto do acolhimento …
    Então, se moramos em um lar , independente de lugar, de situação(próprio ou não),com certeza ali existe felicidae!!! Bjs

  11. Oi, Ana.
    Tudo bem?

    É a primeira vez que venho aqui…e adorei!!! Principalmente, com este texto maravilhoso que escreveste…

    Eu moro numa cidade que nunca conseguiria chamar de lar… O apartamento que gosto é muito bom, mas é alugado e só as coisas pessoais é que são minhas. Os moveis e utensilios eletronicos são todos daqui.. Então, imagina??? Não me sinto em casa mesmo aqui!!! Não vejo a hora de voltar pra minha cidade São José (grande Floripa)!! Quando vamos em casa, no caminho, já começo a me sentir melhor.. Quero muito ter minha casa.. Ou poder montar uma casa, aqui não podemos mexer em nada.. Nem um furinho a mais na parede se pode fazer.

    Bom, quero dizer que é um prazer vir aqui.
    Vou dar mais uma espiadinha.
    Venha me conhcer também, serás super bem vinda.
    Beijão.

  12. Amo meu cafofo, ainda mais agora, tem um mês que compramos.. moramos aqui já tem 2 anos.. minha casa é meu mundinho, meu laboratório.. dizem que felicidade é um estado de espírito, mas estando dentro de um ambiente com a nossa cara é completa.. meu apto é um ovo, mas é perto de tudo, inclusive do meu trabalho.. entrem no meu flickr e entenderão oque estou dizendo.. rsrs… http://www.flickr.com/photos/mirita-rio. Bjs

  13. Ana, Ana, Ana.
    Que bela surpresa o seu blog.
    E que surpresa melhor ainda ler essas coisas que combinam muito com o que eu penso sobre o “morar”. Pra mim, uma casa só vira lar quando, sei lá, a gente tem vontade de andar descalça nela. Essas coisas simples que são toda a alma do negócio.

    Beijo grande
    Claudia

  14. ja vivi em casas que amei em cidades que amei mas nao pude ficar,ja amei cidades depois de chegar, ja mei cidades depois de partir e assim viver e assim

Deixe um comentário

Por favor, deixe um comentário
Por favor, informe seu nome