Home Blog

Apartamento com cara de loft industrial “feminino”

1

Adoro a ideia de mulheres que moram sozinhas, talvez por isso me interesse tanto pelos projetos cheios de inspirações que recebo =)

Aqui temos um apartamento de 92m² na Barra da Tijuca, RJ, onde foi todo reformado pra ficar com a carinha da dona. A design de interiores, Paola Ribeiro, responsável pelo projeto, se inspirou nos lofts, aproveitando o pé direito alto e a integração dos ambientes.

Temos paredes de tijolinho? Temos!

Temos piso cimentício? Temos!

Temos móveis de demolição? Temos!

Temos luminárias industriais? Temos!

Então tá provado que a tendência industrial é mais que universal (Deixemos a generalização de “algo mais masculino” apesar do título desse post, risos) de lado, combinado???

Incrível de lindo, né?

Projeto: Paola Ribeiro – Design de Interiores.

Imagens: André Nazareth

Molho branco de couve-flor

0

A tal da couve tá cara pra caramba, do mesmo jeito que o brócolis. Tentando achar disponibilidade pra procurar em feira de pequenos produtores (E sei que tem aqui no bairro e adjacências), porque no supermercado é surreal ter que desembolsar quase R$15 por esses dois queridos do meu paladar.

Mas né, peguei uma promoção dia desses aí e resolvi fazer uma receita já salva nos favoritos há uns tempos. Vou compartilhá-la aqui porque até as crianças comeram se deliciando e pedindo mais, olha só que fácil:

Aqueça 3 xícaras de água e quando ferver dissolva um caldo de legumes na panela, em seguida adicione 3 xícaras da couve picadinha e deixe lá até ela ficar molinha, em torno de 8 minutos. Com uma escumadeira coloque a couve no liquidificador e reserve. Em seguida em uma frigideira coloque uma colher de azeite e frite 4 dentes de alho bem picadinhos. Junte o alho no liquidificador com a couve e adicione 3/4 de uma xícara de leite e 3 colheres do caldo de legumes que ficou na panela. Uma pitadinha de sal, mais uma de pimenta e outra de noz moscada. Bata tudo até ficar uma textura cremosa de molho. Se quiser ele mais molinho, basta adicionar mais um pouco de leite. Tá pronto!!!
Bom apetite! (E que os preços fiquem mais amigáveis).

A casa colorida da @bixadecora, nossa nova integrante!

9
Nova fase, novas pessoas. Desde que mudei o layout do blog no ano passado e acrescentei ali alguns símbolos importantes na logo a intenção já era expandir os horizontes, e por isso, você irão conhecer aqui um novo time de colaboradores.
O meu novo integrante é um querido, amado e colorido. O nome dele é Nelson, mais conhecido como @bixadecora lá no Instagram e estará por aqui mostrando as artes que ele faz em sua casa e numa nova vida. Muitas histórias pra contar. 
Esse primeiro post vem através de um email que ele me enviou, mas já fico inteiramente feliz e satisfeita em termos esse espaço aberto aqui para uma diversidade de ideias, pensamentos e estilos

Existe muitas coisas na qual gostaria de falar neste texto, como sei que isso não é possível, tentarei compactar o máximo, mesmo que isso não seja meu forte.

Em 96 nascia um escorpiano com ascendente em toura e lua em virgem, para quem é dos signos isso já basta, não!? Lembro de quando criança sonhar com uma casa grande que estivesse sempre aberta para receber a família e amigos, te convido então a entrar em meu mundo colorido.

Vim parar em uma pequena e fria cidade serrana, por aqui as nuvens visitam o chão às 4 da tarde, as hortênsias enfeitam os jardins e praças arborizadas, estou falando de São Bento do Sul. Foi aqui que cheguei sem saber ou conhecer qualquer coisa, inclusive eu mesmo. Ter uma casa para transformar em um lar, um novo emprego, uma nova cidade, tudo parece tão grande quando ainda me sentia tão pequeno, e foi assim que fiz dos 20, 62aninhos.

Por vezes me senti sozinho, e de fato estava, passei um longo período, foi o momento em que dei a mão para mim mesmo e me permiti dançar descompassado quando a ansiedade me fez acordar às 3 da manhã. Foi nessa fase em que permiti me chamar de ela, pus a saia e disse PUTA BIXA DA PORRA!!!! E conforme fui soprando vida em mim as paredes foram ganhando quadros, conforme o cabelo se soltava em um emaranhado de pontas duplas as plantas cresciam em vasos, e quando não tive a quem receber, eu recebi a mim, em jantares à luz de vela com direito a flores sobre a mesa.

Acredito que nossa casa é a extensão de nossa alma no mais profundo eu, e por isso as cores brincam e dançam neste lar conforme o ritmo que se toca no dia a dia, é pensando assim que me despeço agradecendo por tudo que descobri sozinho e que agora quero compartilhar com vocês.

Um beijo, até breve.

Para baixar: Adesivo hidráulico, pop e português

1

No meu post onde mostrei o ap novo comecei falando um pouco sobre as várias mudanças de casa que já fiz na vida, inclusive as inúmeras após ter criado esse blog, e estou escrevendo mais profundamente sobre isso, pois vi que muita gente vive paralisado pelo medo do novo. De toda forma alguns comentários tanto aqui como no Instagram (Segue lá @avoqueria) me colocou numa nostalgia massa e fui atrás de posts antigos, bem antigos sobre outras casas minhas.

Numa das minhas migrações de servidor, acabei perdendo muitas postagens, mas dei de cara com a casa que morei logo quando cheguei em Gravatá, interior aqui de PE, após 7 anos morando entre Rio e SP.

Bem, vou falar sobre isso mais pra frente nesse outro post sobre mudanças, mas a boa notícia é que achei uns arquivos que disponibilizei aqui no blog lá em 2013 (ca-ram-ba!!!) e que acho que pode interessar aos novos leitores e aos inúmeros que me pediram pra colocá-los novamente pra download: Adesivos de azulejo hidráulico, pop e português. É só você levar numa gráfica e pedir que imprima em adesivo vinílico, chorou pae!

Aqui tem todo um passo a passo manjado nas internetês de como aplicar. Pra baixar, é só clicar no nome do arquivo que você deseja, casa um deles mede um metro quadrado (mas já estão com as margens certinhas pra impressão).

Azulejo hidráulico

Pop

Português 

Qualquer dúvida deixa aí nos comentários =)

 

Sua casa já está pronta para a Copa?

0

Estamos há exato um mês da copa do mundo e tenho muitas memórias maravilhosas de todas as copas que já estive presente (sentadinha na minha humilde residência, heheh). Na infância muita festa na casa da minha vó, primos e tios reunidos, disco de raça negra tocando, uns chapéus de plástico com as cores do Brasil que faziam nossa cabeça esquentar uns dois mil graus. Na adolescência e vida adulta comecei a classificar as copas pelos boys “Em 2002 foi a copa de Cris, a de 2006 tava com Paulinho”, hahaha, não vamos falar da Copa America, por favor.

Apesar daquele fiasco da última copa, desculpem os incrédulos, mas não vejo a hora de começar a festança de novo. É isso, copa pra mim é sinônimo de amigos reunidos, de casa cheia de gente, de motivo pra comer frituras e tomar cerveja, dispenso não. E melhor: esse ano será a Copa de Ana mesmo, vou ter uma copa pra chamar de minha. Aqui mesmo na salinha que ficará decorada de verde e amarelo e toda a galera rindo e torcendo na varanda. Quero fogos!

Deixemos de papo e vamos falar sobre decoração, né mores? Não precisava ter calado tanto tempo pra agora chegar aqui e não parar de escrever, querida blogueira.

A Iaza é a loja que comercializa o meu sofá maravilindo. Sim, esse sofá amarelo que já combina com a Copa, desculpa. Mas a Iaza também tem outros móveis com uma qualidade ótima e hoje quero contar que além dessa minha belezinha ainda está disponível no site, temos outros móveis também numa pechincha muito boa, vamos a nossa rodada de ofertas da semana com os convocados pro time que vai fazer bonito ai na tua casa:

Mesinha auxiliar de madeira e ferro

Mesa de madeira com metal aramada

Poltrona Efigênia 

Rack para TV de madeira e ferro 

Chega lá no site que eles são super atenciosos, cuidados, rápidos com os prazos e muito, muito, muito parceiros do ACQMVQ.

Meus filhos são crianças incríveis, porque eles tem uma mãe incrível. 

3

Todos os dias faço o caminho de volta no carro respondendo perguntas difíceis, inacreditavelmente complexas. Falo com meus filhos sobre economia, política, sexo, problemas de saneamento, maconha ou explico porque não tenho um namorado. Quando assistimos algum programa ou série, dou pausas e aponto comportamentos inadequados, discuto sobre física e biologia ou simplesmente digo que “essa cena foi muito machista”. Mostro no smartphone bem no meio do mercado um mapa mundi pra explicar onde fica a Espanha. Sou a maior responsável sobre o contato deles com as coisas complicadas ou não tão simples da vida, que privilégio da porra.

Ando pelada pela casa e apresento diariamente o meu corpo, um corpo sagrado, um corpo que gerou suas vidas, um corpo de uma mulher adulta, um corpo livre. Meus filhos não riem quando estou somente de calcinha, talvez eles comentem de um furinho no tecido, daí eles riem (Pq né, ta saindo uns pelinho ali, mãe). Sou a principal referência do feminino para dois homens, que responsabilidade maravilhosa.

Nunca arrumei a casa sozinha na presença deles. Divido tarefas, falo sobre a lógica de todos precisarem colaborar, não colo cartazes pra ganhar estrelinhas. Aqui não existe recompensa por fazer o que é necessário para ser um homem que resolve suas coisas sem explorar mulheres. Se alguém me pede um copo d’água enquanto estou almoçando, sabe que vai levar um não, aliás, separo dois copos e deixo-os próximos ao filtro. Sou a mulher que está ensinando que não existe nenhuma possibilidade deles serem dois imprestáveis, que honra!

Sou extremamente sincera sobre as minhas necessidades. Meus filhos sabem que tem dias que preciso dormir até mais tarde e não me incomodam com isso, sabem que tem dias que preciso encontrar meus amigos pra tomar uma cerveja e ficam felizes em saber que vou dançar enquanto eles dormem com os avós. Meus filhos sabem quando choro de tristeza, sabem quando levo um pé na bunda, sabem quando estou com cólica menstrual. Sabem também que nem sempre são prioridade, porque muitas vezes eles não são mesmo. Sou a pessoa que mostra na prática o direito que todos temos a nossa individualidade e liberdade.

Tem noção da “bença” que é?

Fico muito feliz em ser mãe, ainda que deteste a romantização desse papel. Não quero ser chamada de super, heroína ou batalhadora. Eu sou privilegiada sim, porque tenho dois pequenos seres sob os meus cuidados, mas muito mais que o cansaço e a frustração que sinto diariamente por tantos motivos incluindo a minha maternidade, sou a pessoa que tem a dupla chance em ver as coisas mudando da próxima vez, num próximo instante, numa próxima década, em um próximo tempo. Sou eu construindo e renascendo duplamente toda manhã, através de dois carinhas que são criados com tudo que eu acredito que posso fazer de melhor por eles, e do que eles possam fazer depois de melhor pro mundo.

Meus filhos são crianças incríveis, porque eles tem uma mãe incrível.

É uma grande oportunidade.

 

Dividindo ambientes com vidro: Um apartamento de 35m² bem resolvido

0

Gosto de mostrar aqui apartamentos minúsculos e bem resolvidos, não só porque sei que é a realidade de um monte de gente (Apartamentos novos com mais de 60m² são raros ou na casa dos milhões), mas também pra que possamos perceber a importância de termos profissionais envolvidos no processo da decoração. Sim, defendo muito uma casa intuitiva, construída de memórias e aos poucos, mas ter ajuda profissional não necessariamente interfere nesse processo, alias, pode até te ajudar a escolher materiais ou pensar em soluções criativas.

Por exemplo: Já passou pela tua cabeça que a divisória entre a sala e o quarto pudesse ser apenas uma “parede” de vidro e que isso daria certo? Alías, ele também aparece dividindo a cozinha e sala e em outros detalhes de móveis e decoração.

A varanda integrou com a área de serviço e o office. Um apartamento super pequeno e incrivelmente bem distribuído, organizado e funcional.

O projeto é do Estúdio Ela Arquitetura, da Juliana Matalon, em parceria com a Carol Dantas.

Fotos:Gui Morelli

O meu novo apartamento

16

Depois de um bom tempo sem mostrar quase nada desse novo lar, estou aqui com uma tonelada de fotos e um post imenso. Torcendo pra que tu chegue no quartinho da área de serviço, nesse tour de respeito.

Tenho um vídeo pra editar ainda, mas ó, depois do padrão das gravações do programa “Fazer o quê?”  que estreia daqui a pouco (Aproveita e já se inscreve no canal), fiquei mal acostumada e meu vídeo tá uma vergonha, prometo destravar e fazer outro ainda esse mês, ainda esperando uma alma amiga caridosa e entendida chegar pra uma visita.

Estou morando em Recife, em um bairro onde tenho tudo perto (mercados, padarias, farmácias, etc) e ainda é um ponto que me faz chegar em Olinda, Boa viagem ou no centro da cidade em poucos minutos. Sai do meio do mato e estou no fervo da civilização. Sinto-me bem melhor, perto da minha família, dos meus amigos, em um apartamento confortável com um aluguel relativamente em conta para o tamanho do imóvel e localização, foi um achado.

NADA aqui ainda está decorado, tenho ainda algumas caixas pra desfazer, paredes pra pintar, móveis pra reposicionar, objetos que quero doar, trocar, comprar. Esse apartamento está cru, tem uma identidade que ainda não é totalmente minha, ou a Ana de agora, por mais que você olhe e ache ok, rs.

Vamos lá:

No hall de entrada ainda quero um móvel baixinho pra colocar sapatos (aqui em casa temos o costume de só entrarmos descalços), um quadro novo, um chaveiro, talvez pintar a porta na parte de dentro.

Minha sala é muito grande, pelo menos para os padrões moradia de Ana Medeiros, e resolvi deixar o meu escritório nela mesmo. Demorei um pouco pra acostumar com esses móveis aí, mas ainda vou resolver esse espaço também, delimitar e ao mesmo tempo integrar, uma confusão na minha cabeça. Em alguns momentos penso em pintar os móveis, em outros não. O tempo dirá.

A sala de jantar meio que ficou separando os dois espaços (escritório/sala de estar) e tá bom assim, to curtindo. Ainda quero reformar essa mesa também, tá anotado aqui no caderninho da esperança.

 

A sala de estar tem essa porta larga maravilhosa, minha paixão. O apartamento é antigo, privilégio. Os quadros estão apoiados, a samambaia meio seca, o sofá continua maravilhoso e salvando a pátria, a minha cadeirinha de balanço voltou do quarto das minhas sobrinhas (andava emprestada) e é isso que temos agora. Precisamos de um belo papel de parede, de uma luminária de piso, de cartazes, objetos…Meldels quantas ideias, cade esse minimalismo que nao me contagia? E a pergunta que nao quer calar: onde arrumar tempo e dinheiro? Deixem nos comentários.

A varanda ainda bem desorganizada, quero uma rede, Brasil! Vamos chegar lá…

Aqui o corredor que na verdade não pretendo fazer nada mesmo, somente limpar todos os riscos que o pioio menor fez nas paredes. Esse “A” hoje me soa um pouco estranho. Um dia um amigo me disse que esse A de Ana na parede é como curtir a própria foto no Instagram. Considerem que é um A da primeira palavra que vier a sua cabeça, seja amor ou anta, não importa.

As fotos não ficaram uma proeza, a cama estava meio bagunçada mesmo e não “reparem” na bagunça do meu armário. Pra quem adiou tanto mostrar esse apartamento, tinha que aproveitar o surto repentino que me deu, rs. Nem sei o que quero fazer por aqui, gostando de um quarto mais basicão.

O quarto dos pioios que já saiu duas vezes em revistas nos anos anteriores, agora encontra-se uma derrotinha. Aguardemos a revolução acontecer pra voltamos as bancas em 2019.

 

Quando estava gravando a próxima edição do Fazer o quê?, onde transformamos um banheiro, em algum momento desejei que a transformação fosse na minha própria casa, porque olha que banheirinho mais antiguinho precisando de um super tapa no visual.

Aqui o quartinho da TV/Hóspedes. Tenho planos audaciosos pra esse quarto e logo mais venho contar aqui, segundo semestre ele pode ser seu. Surpresa.

Agora vamos para a parte mais esquisita: a cozinha! Ela é grande, espaçosa, já me acostumei com os azulejos azuis, mas esse piso ainda me deixa tipo assim “essa cozinha parece que ta suja, socorro”. Quero colocar um piso vinílico, inclusive empresas patrocinem esse piso, obrigada. Ela ainda tem umas colunas e uma parede meio na diagonal que me deixa sem saber como organizar geladeira, fogão, armários #SOS. Tudo está fora do lugar, TUDO. É o cômodo que precisa de mais carinho e atenção, certeza.

A área de serviço nem se fala…

E temos um quartinho aqui atrás que virou depósito, mas que terá futuramente uma finalidade melhor, ainda nao sei qual, mas terá.

Teremos posts com antes e depois? Claro que sim. Muitos, como vocês podem perceber, rs. Obrigada por terem chegado até aqui, pela curiosidade ou pela saudade, feliz em voltar pro blog e ter a sua paciência e audiência de volta. Sugestões são aceitas, viu?

Quanto tempo dura uma reforma?

3

Tenho muitas casas: o apartamento que estou morando, a minha casa virtual (que completa 10 anos em Setembro), as casas de alguns grandes amigos, a casa da minha mãe, a casa do meu pai, a casa da minha irmã. Sei que todas elas são abrigo, se der alguma merda tenho pra onde correr. Mas tinha uma casa que vinha fazendo de veraneio, há muitos anos sem passar um tempo importante nela, tirando o pó e não passando o pano. Resolvi reformar, trocar o piso, mudar a hidráulica, ajeitar toda a parte elétrica e renovar a pintura, desde não sei que dia, mas estava nela.

Sei que não é a primeira vez que venho aqui no blog justificar meus hiatos nas postagens, mas gostaria que assim como parei e entendi que o processo é longo, espero que vocês também compreendam. Amo escrever, amo decorar, amo projetos, amo trocar muitas ideias, amo compartilhar o que chega por meio dessa casa virtual, mas em muitos momentos em que não estive aqui, estava fazendo toda essa reforma trabalhosa dentro de mim.

Passei por mudança de cidade em Dezembro, por alguns problemas familiares, por adaptação dos pioios, por uma nova vida depois de duas, três, quatro novas vidas. A que tinha antes dessa não estava me fazendo feliz, àquela casa linda e decorada não era mais um lugar que eu me sentisse acolhida, assim como a anterior, e não sou de ficar onde não me cabe mais, ainda que pague meu aluguel todos os meses em dia.

E foi isso. Não sei se tenho mais algo a dizer porque acho que todos os outros textos que virão nesse blog irão explicar, mas uma coisa é certa: Sinto-me feliz por estar agora empolgada em voltar com #ACQMVQ, em ter uma reunião quinta-feira sobre planejamento de pautas, pela estreia do “Programa Fazer o quê?”, agora com a minha participação, ainda em Maio e com tantos outros planos que estão surgindo.

De toda forma, cola lá no Instagram @avoqueria, lá estou todo santo dia =)

Isso aqui agora vai ferver, confia.

Abertas inscrições para o Programa Fazer o quê?

3

Chegou o grande dia! Vamos colocar o Programa Fazer o quê? na estrada!!! Queremos chegar aí na tua casa <3

Tá rolando a seleção lá no Instagram (e somente por lá, combinado?), aqui as regrinhas:

-O Programa Fazer o quê? consiste em contemplar a transformação de um ambiente da casa de um leitor do blog A casa que a minha vó queria, podendo envolver ou não reformas estruturais.

-A escolha será feita por Ana Medeiros, Natália Sá e arquitetos envolvidos no projeto, de acordo somente com nossos critérios que envolvem logística, orçamento e interesses dos nossos parceiros, logo, não se trata de um sorteio, concurso cultural ou promoção.

-Para participar de nossa seleção é necessário:

1- Ter o perfil do Instagram aberto durante o período da seleção (16/03/2018 ao dia 26/03/2018).

2- Seguir os perfis do blog @avoqueria, do @programafazeroque, @votorantimcimentos e @lojasmarabraz, através deste link.

3- Comentar quantas vezes desejar, sempre marcando 3 amigos na publicação oficial no perfil do blog @avoqueria. Se os seus amigos estiverem também seguindo os perfis acima, você poderá escolher um deles pra ganhar um projeto/consultoria de um ambiente feito por nossos arquitetos.

4- Enviar um vídeo por direct do Instagram para o perfil @avoqueria mostrando o cômodo que deseja a transformação e falando a cidade e Estado que se encontra.

5- Poderá participar todas as pessoas residentes no Brasil, maiores de 18 anos, com casa própria ou alugada (mediante autorização do proprietário do imóvel).

6- Antes de qualquer intervenção do Programa Fazer o quê? na residência escolhida, o projeto será apresentado com detalhes ao contemplado e assinaremos um contrato com todas as cláusulas legais de responsabilidades de ambos.

-Durante o período de transformação (a ser informado com antecedência ao morador), não será permitido a permanência do(a) morador(a) na residência, podendo haver um responsável para acompanhar todo o processo.

E claro, se inscreve lá no canal que já já vamos colocar esse programa no ar! 

Fazer o quê? 8 meses após…

1

Ano passado estivemos aqui falando sobre um projeto do blog em parceria com a Natália Sá, jornalista e entusiasta desse mundinho decorativo, cês lembram? Gravamos uma edição piloto do Programa Fazer o quê?, que consistiu em transformar completamente um cômodo de uma leitora do blog, no caso, a cozinha da Gerusa.

Como era uma edição experimental, pra que aprendêssemos mesmo como poderíamos fazer quando fôssemos brincar de verdade (heheh), a Nat comandou as gravações e eu fiquei aqui quietinha, na retaguarda, preparando tudo nos bastidores. Conseguimos o apoio de mais de 45 empresas e fizemos essa revolução toda na cozinha da família Silva.

Lá no canal temos todos os vídeos contando como foi a nossa primeira edição, mas separei aqui o primeiro e o último pra gente relembrar um pouquinho tudo que fizemos por lá e como foi emocionante o dia da entrega #choramosumpouco #mentira #choramoshorrores.

Olha só como estava a situação quando chegamos lá (O ANTES):

Agora do jeito que ficou no final da nossa passagem:

E agora a parte mais interessante disso tudo, receber fotos da cozinha 8 MESES DEPOIS e encontrá-la lindamente conservada, organizada e agora cheia de vida e dia a dia.

“A cozinha continua do jeito que o programa deixou! adequamos algumas coisas, ainda estamos melhorando, mas ficou a minha cara, A harmonia melhorou, a satisfação e o prazer de cozinhar motivou. É o ambiente preferido da casa” 

E porque estamos aqui nesse postinho relembrar é viver? Advinha? O FAZER O QUÊ TÁ VOLTANDO, e agora cheio de novidades, com a minha participação (Deixa eu chegar ai na tua casa? hehe) e com mais e mais emoções.

A vontade é contar tudo agora, mas volto amanhã falando sobre como você pode participar (valendo Brasil inteiro) e outras cositas más. Amanhã também teremos uma live no Instagram, as 20h, então segue a gente por lá (@avoqueria/@programafazeroque). Ah, e não esquece de assinar o canal pra acompanhar tudinho nos próximos meses <3 

A casa criativa da amiga arquiteta

0

Nem sei como a Marcinha chegou na minha vida. Se foi indicação, se foi alguma matéria em que apareci falando do meu trabalho. O que importa mesmo é que ela chegou em minha vida e não saiu mais. Márcia é uma arquiteta brilhante e o primeiro contato que fiz com ela foi através de um trabalho para um cliente em que ela nos convidou à participar organizando toda a residência de um senhora. Depois disso mantivemos contato, sempre nos encontrando pelos caminhos da arquitetura e organização, que andam juntinhos. Ela é dessas arquitetas que não faz cenário não! As casas por onde ela anda, ficam funcionais. Ela pensa em tudo. Conta a quantidade de cabides. De pares de sapatos. Para que no projeto caiba exatamente o volume existente de todas as coisas, e a gente não fique na peleja, coisa que normalmente, alguns arquitetos que trabalhamos em parceria, amam fazer. Criam cenários lindos, mas nada funcionais. A gente se dana pra fazer caber tudo, e de forma linda hein? Senão reclamam da gente! Coisas da vida urbana!

Ela perdeu o amor da vida dela para um câncer e nós fomos lá ajudar a esvaziar o apartamento, atendendo a um pedido sofrido dela. E continuamos nos esbarrando pelo caminho, até que descobri que ela estava morando na minha esquina. Não desgrudamos mais!

Ano passado recebi um novo SOS. Precisava dar uma geral no apezinho lindo dela porque queria retomar a carreira de arquiteta freela, já que a coisa no trabalho estava ficando “esquisita”como foram quase todos os trabalhos em 2017, e o home office que ela criou, abrindo o quarto de empregada para a sala, estava uma zonaaaaaa e não dava nem pra sentar e produzir. Fui lá dar uma olhada e ver o que poderia ser feito! Genteee, choquei! Que AP fofo, lindo, delicioso, mínimo, mas de um bom gosto que só Jesus! Passaria meses lá fotografando detalhes e em todos eles uma história diferente.

Ela aproveitou todos os mínimos espaços. Todos mesmo. O AP tem só um quarto. O outro, de serviço, como eu disse, virou um home office virado pra sala. A cozinha também foi aberta pra sala. Tem uma varandinha delícia com plantinhas, quadrinhos e cadeira pra apreciar a vista e curtir o ventinho que sopra. Tem muitos quadros na parede, coisa que amo! E tem uma coleção de casinhas, sim casinhas, esculpidas em pedras, madeira etc, trazidas por todos os lugares do mundo e do Brasil por onde ela passou e por onde os amigos foram e lembraram dela. Tem coleção de cadeirinhas no home office também. E tudo, tudo se transforma na mão dela. Uma moldura antiga emoldura um coelho que parece ser de louça. Uma coisa contextual, bem Alice no País das Maravilhas. Tem a luminária original da década de 60, eu acho, onde o botão de acender é o pintinho do menino. Aff, era muito detalhe para dar conta e vcs vão ver que não estou mentindo. As fotos são a prova!

A marcenaria dela foi muito bem planejada. Aliás o expertise dela na minha opinião, é a marcenaria. Ela arrasa nesse quesito. Soube aproveitar cada cantinho da casa dela com maestria. Atrás da porta do quarto fez um armário com uma profundidade menor, exclusivo para bolsas. Sob medida, incrível! E no corredor, tinha um nicho inutilizado, que ela encheu de prateleiras, e transformou numa sapateria ótima para os “trocentos”pares que ela tem. Desnecessário isso viu? Reclamei com ela desse excesso.

A organização que começou no home office, se estendeu para o arquivo pois tinha muita coisa para eliminar e outras tantas para arquivar direito, chegou até a área de serviço onde ela projetou uns armários para guardar louças, roupas de cama e mesa e outras coisas menos utilizadas, mas um lugar que só magro habita sabe?  E eu com o meu corpitcho abundante, tive que rebolar para caber naquele espaço mínimo. Mas vou te falar? Demos altas gargalhadas nesse espaço mínimo. A intimidade tem dessas coisas, a organização vira uma festa e a diversão é garantida! Eu no alto da escada, ela embaixo me dando aquele apoio e a gente perdendo as forças de tanto rir e falar besteira. De vez em quando faz bem sabe? E eu que sou uma pessoa séria, acho que até demais, perco a linha de vez em quando. Necessário!

No meio desse trabalho, aconteceu o previsto. Marcinha foi demitida do trabalho bem como toda a equipe de arquitetura por conta de contenção de despesas, coisas que 2017 não nos deixou esquecer! Mas essa organização foi perfeita! Momento exato: limpar, enxugar, descartar, organizar e padronizar para só então, fazer acontecer. E não é que os orçamentos para novos projetos começaram a pipocar???? Só desejo coisas boas pra essa garota linda, dos olhos claros e bom gosto ímpar. Avante garota!

Beijos e até a próxima! E quem quiser conhecer um pouquinho da minha arte, do meu mundinho, é só acessar: www.atelieordenar.com

Ap com inspiração em tons neutros

2

Cheguei na casa de uma amiga que tinha acabado de mudar da casa dos pais para o primeiro ap (agora somos quase vizinhas) e ganhou de uns parente gente boa uma estante enoooorme que ocupava certinho uma paredinha da sala, dessas que vão do chão e ocupam todo o pé direito (como da foto aê). A grande questão para a minha visita era mesmo pra pedir um socorro “Miga, me ajuda a pintar de outra cor?” #interesseira. A primeira frase após o abraço cheio de saudades: “Uma estante preta na sala é muito coisa de hômi, neah?”. Pausa para o silêncio e reviramento de olhos (ainda bem que temos intimidade). Em seguida peguei na mãozinha e chamei pra um “vem cá, meu bem, tu gostou desse presente? Acha que não combina perfeitamente com esse sofá que tu parcelou em 12x? O problema é mesmo só essa associação aí com a cor? Porque se a resposta for sim, adeus”. Bem, tudo em tom de brincadeira e intimidade, mas mostra o quanto ainda estamos presos as ideias de cor e gênero, até mesmo dentro da nossa própria casa. Mais um minuto de silêncio.

E daí que essa história toda veio a calhar com o projeto desse apartamento (que já esfreguei na cara da minha amiga, lógico) para uma MORADORA e feito por duas arquitetas MULHERES, Nadja Bonan, da Oficina 1.11, em parceria com Lígia Kalil.

O resultado ficou lindo, delicado and com muito preto, metalizados e roxo (Roxo, a cor que todo mundo tem medo, hehe).

Prometo fotos da salinha da vizinha, que se convenceu a deixar a estante pretinha do jeitinho que é.

Repagina em um banheiro antigo gastando pouco

4

Eita férias eternas, né? Vortei!

E nem vou voltar com conversinha, vamos direto ao ponto: Um amigo querido morando em um ap antigão (Muito legal por sinal, a varanda é um charme), mas com um banheiro SUPER detonado, uma grana curtíssima pra comprar coisas legais e uma torneira vazando, rs. Eis o resultado:

E agradecimento especial a Tigre, que ainda deu uma mãozinha pra gente com a torneira, assento do vaso e grelha abre e fecha <3

Morando no mundo da lua

0

O bom de escrever sobre astrologia eventualmente é que o céu está sempre diferente. Dinâmicos que são, a cada dia, a cada hora, os astros estão numa conformação diferente e fazendo diferentes relações entre si. Aliás, é basicamente isto, do ponto de vista astrológico, que nos torna diferentes entre si e que faz com que mesmo pessoas nascidas no mesmo dia, mês e ano, tenham mapas e personalidades extremamente diferentes. Cada um é um universo particular.

Assim como cada pessoa, cada lar tem suas particularidades e peculiaridades. Já escrevi aqui e volto a repetir: pra mim, as casas são verdadeiros organismos vivos e, ainda que não saiam do lugar fisicamente, o lar se muda, de lugar, de situação, de habitantes, de vontades, como a gente, um universo particular. Por isso faço esta coluna tão querida de astrologia do morar.

Hoje, aliás, é um dia especial aqui na coluna. A primeira coluna foi há 6 meses, quando o sol estava em Leão, domiciliado e teve eclipse solar total. Já falei disso, né? Dignidades planetárias. Os astros são como atores interpretando papéis. Quando eles estão naquele papel que adoram fazer, estão em casa, domiciliados. Basicamente, quando o planeta se encontra no signo que rege, ele está domiciliado. Quando está no signo contrário, está exilado. E ano passado, com o eclipse solar total em Leão, entramos numa série de eclipses neste eixo nodal Leão-Aquário. Naquela ocasião, era a Lua tapando completamente o sol, visível no hemisfério norte e no site da NASA. E a questão astrológica era sobre o eu X interesses da coletividade, já que Leão é autocentrado, coberto. E ensinei aqui a fazer o mapa dos sonhos da casa.

Hoje, às 11:27h tivemos um eclipse total da Lua, que se dá quando Sol e Lua estão opostos e a Terra, no meio, faz sombra na Lua. Infelizmente não foi visivel aqui no hemisfério Sul porque foi bem no meio do dia. De qualquer forma, a energia que o eclipse move, fica aqui, reverberando, há quem diga que dias, outros dizem meses. Hoje o Sol está exilado em Aquário e a Lua está cheia em Leão. Uma Lua eclipsada diz sobre os nossos sentimentos mais profundos, mexe com nossas emoções, com nosso subconsciente. Aliás, é isto ue o céu está pedindo desde novembro, quando Júpiter entrou em Escorpião. Com relação à astrologia do morar, interpreto que esta Lua e este eclipse pedem um mergulh profundo em nós mesmos. Talvez você ache coisas que nem sabia estarem guardadas ou se lembre de ssensações e sentimentos de há muito tempo, uma vez ue a Lua, maternal que é e regente de CIancer, tem a ver com o passado.

A Lua em Leão fala do ego e do subconsciente da pessoa e também do povo e das memórias. Pessoas que tem pontos importantes do mapa neste eixo Leão-Aquário serao afetadas mais intimamente, principalmente os que estiverem entre 8 e 14 graus, já que o eclipse se deu a 11 graus de Leão.  De qualquer forma, reflita, medite, procure o lugar que você se sente melhor em sua casa e, por que não?, Tire um nudes! Pra si, pra se ver bonita. Aqui a gente fala de casa, mas fala de empoderamento feminino, de maternidade, de útero, de Lua cheia. Esta é uma hora maravilhosa pra resgatar o sagrado feminino e tantas mulheres aí dentro de você. Aproveito o post de hoje pra convidâ-las a meditar em uníssono com a Miranda Gray, na benção mundial do útero, que ocorre 4x/ano, sempre em Luas Cheias. São mais de 170 mil mulheres meditando ao mesmo tempo. E a energia e o poder que isso tem, olha, só fazendo pra sentir. Qualquer mulher pode fazer, mesmo se não menstrua mais ou se já tirou o útero; a única exigência é já ter tido a menarca. E, se não der pra meditar hoje, se inscreva pra próxima, ela manda tudo direitinho no seu email. O endereço é: www.wombblessing.com.

Ainda com relação ao céu, hoje Mercúrio entrou em Aquário (até 18/02), signo de Ar quente e úmido, altamente ligado ao intelecto e à coletividade, coisas que Mercúrio adora. Ótimo pra escrita e pra argumentação. Quanto a Lua, a danada muda a cada 2 dias e meio e na sexta estará em Virgem, começando semana que vem em Libra. E se vocês ouviram o termo lua azul, é quando temos 2 luas cheias no mesmo mês; Lua de sangue é por causa do eclipse, que a lua fica com um halo avermelhado quando coberta e super Lua é porque a Lua está no seu perigeu, o ponto de sua órbita mais próximo da Terra. Só mesmo quem vive no mundo dela pra perceber estas mudanças sutis.

Peçam, o universo dá, se não for com o ego.

Ótimo eclipse a todas e bem-vindas as que fizerem a benção.

 

 

Feliz Ana Nova

1

O post veio com algumas horas de atraso, porque Ana aniversariou na madrugada de terça pra quarta, mas o carinho continua o mesmo! Feliz Ana Nova pra todas, assim, no feminino e de luta! Sempre juntas!

Falei que vinha ano passado e não vim. Aliás, até escrevi o post, Ana leu. E era pra ela, pra mudança, de casa, de vida, de jeito de pensar, pra Saturno que entrou em Capricórnio dia 20 de dezembro. Saturno, como toda semana escrevo, é Chronos na mitologia grega, deus do tempo, marido de Rhéa Sílvia, que comia os filhos sabendo que um deles ia destroná-lo. Cansada de tudo aquilo, Rhéia Sílvia se recolheu ao monte Ida, em Creta, para parir Zeus ( ou Júpiter, na mitologia romana), seu sexto filho. Deu uma pedra ao marido embrulhada como o recém-nascido, que foi criado por outrém, talvez até amamentado por uma cabra amaltéia ( da montanha, que representa Capricórnio). Quando chegou à idade adulta, Zeus deu ao pai um veneno que o fez vomitar a pedra e todos os seus cinco irmãos: Héstia, Deméter, Hera, Hades, Poseidon. Entre os 3 homens, dividiram o poder do mundo: Zeus ficou sendo deus dos deuses, reinando o Olimpo; Poseidon ( ou Netuno), os mares; e a Hades, ou Plutão, coube o submundo do mortos e do inconsciente. Esta é a história de Saturno, que entrou em Capricórnio, seu domicílio noturno, em 20 dezembro e neste signo permanece por 3 anos. Justamente quando Ana mudou de cidade e de apartamento, como voces viram neste post aqui.
Quarta, dia 17/01/18 tivemos um stellium, que é a reunião de mais de 5 planetas em Capricórnio. Uma Lua Nova mara e digna em Capricórnio, a primeira do ano, disposta justamente por Saturno, este pai implacável e rígido, mas que, domiciliado, favorece os planos a longo prazo. Tudo visça e cresce com bases sólidas. Agora é o momento de dar o primeiro passo. Se você deseja uma casa, um terreno, uma mudança, pense agora. Na energia da Lua Nova em Capricórnio. Peça ao universo que ele dá, se não for pedido com o ego e por vaidade. De verdade.
E nestes auspícios de Lua Nova em Capricórnio, signo do elemento terra, de ritmo cardinal, feminino, quente e positivo, Ana completou 35 anos naquela madrugada. Uma cabra da montanha que devagar e sempre, escala a montanha e chegam lá, não importa onde lá seja. Com uma noção do real, do palpável, de terra, fora do comum. Persistente e objetiva. Se decide, vai lá e faz. Eu sei porque tô cercada de cabras da montanha, Ana, Cleópatra, Priscila, Flávia, Pietra, minha avó.
Neste aniversário, minha amiga, o céu é todo seu: Sol, Lua, Vênus, Plutão, Mercúrio e Saturno, todos em Capricórnio, todos pedindo foco e trabalho e prometendo resultados sólidos e terrenos em troca de empenho, em todas as áreas da vida. Pra completar a transformação, Marte e Júpiter ainda reverberam uma conjunção em Escopião desde dia 8 de janeiro, o signo do autoconhecimento e da transformação, mostrando que as revoluções vem de dentro. Hoje a revolução é você, minha irmã. Feliz Ana Nova.
E que reverbere na casa de [email protected] que nos lêem. Capricórnio tá aí há quase um mês empurrando vocês pro trabalho e pras decisões importantes, não ignorem porque o céu, minhas caras, é dinâmico: mal acordamos e a Lua já nos saudou em Aquário, às 5;30h da manhã no nordeste, sem o horário de verão, fazendo a gente se preocupar com a opinião e a presença do outro. Passa o final de semana em Peixes, deixando a todos mais sentimentais e transcedentais e começa a semana em Áries, cheia de iniciativa. Volto aqui provavelmente com a Lua em Touro. Doze horas depois da Lua entrar em Aquário é vez da Vênus, e semana que vem sera o Sol que se exila. Aproveitem em quanto todos os planetas estão andando pra frente, nenhum exílio, porque o mundo, este sempre roda. Já cantava calcinha preta.

Aproveite sua transformação pessoal e em casa, minha amiga. Este ano é seu, este céu tá mara, feliz Ana Nova! Te amo, daqui até Saturno. Ida e volta.

Ana Medeiros

Ana Medeiros

É a neta de D. Edite. Ana comanda o #ACQMVQ e vive diariamente decorando aqui e ali. Trabalha home office produzindo conteúdo para o blog e outras empresas das internetes. É mãe de dois pioios lindos, ama comer, desaguar nas palavras, e não dispensa uma caipirinha no fim de semana. Sabe que ser livre também é perder o controle, que morar é mais do que habitar e que um abraço apertado é melhor que banheira de ofurô.

Colaboradores

Programa Fazer o quê? (Estreia em Setembro no Youtube)